Grávida graças a orações

O resultado: “Quase 50% das mulheres do grupo ficaram nesse estado, frente a 26% do grupo de controle para as quais não se rezou”, explica o diretor do estudo Dr. Rogerio Lobo, diretor do Departamento de Ginecologia da Universidade de Columbia (EUA). Os médicos não explicam este fenômeno. “Realizamos o estudo por curiosidade, ninguém há investigado algo assim até agora”, explicou o diretor Lobo. Como as mulheres não sabiam a que grupo pertenciam, não podia ser que as do grupo de orações se sentissem mais receptivas a ficar grávidas. Posto que esta investigação controlada várias vezes se realizou seguindo as exigências estatísticas mais severas, pode excluir-se completamente uma manipulação.