Cura à distância em casos de AIDS


Os terapeutas foram selecionados segundo uns critérios muito severos; as condições para participar dos testes eram uma boa reputação e experiência com pacientes com AIDS. Alguns dos terapeutas são médicos ou psicólogos que aplicam em suas consultas sua evidente capacidade de cura e outros já haviam trabalhado com médicos. As técnicas de controle remoto empregadas durante o ensaio apresentaram um espectro de cura muito amplo: estavam representadas as diferentes tradições de cura espiritual, desde o ensalmador (um predicador batista) até um maestro Qui-Gong, passando pelo xamã.Ainda que os resultados sejam muito espetaculares, a doutora Targ adverte de um entusiasmo demasiado precipitado: “Os estudos individuais não demonstram obrigatoriamente um efeito”. Os dois estudos apresentados representam unicamente o trabalho mais recente de um processo de uns 40 anos de desenvolvimento, refinamento e repetição cujo objetivo é a avaliação dos ensaios de cura remota. Ambos os estudos confirmam estes efeitos exatamente igual que o grande número de estudos publicados. Entretanto, este trabalho esclarece um grande número de questões que serão objeto de outros estudos: ¿Quais são as técnicas ou métodos de cura mais eficazes? ¿Existem determinadas pessoas que são capazes de desenvolver mais poderes curativos que outras? ¿É a cura remota mais efetiva com algumas enfermidades? ¿Qual é o papel do paciente durante o processo de cura? ¿Tem a cura um efeito aditivo, ou seja, vale a pena organizar grupos de reza e outros grupos de cura remota? ¿Existem vias biológicas?